sexta-feira, 26 de março de 2010

Once Upon A Time...

Estava ouvindo "Just Once" do James Ingram. Claro que você lembra, trilha sonora do finalzinho de "The Last American Virgin", filme de 1982. Mas é claro que se lembra, quando o mocinho acaba de provar seu amor à mocinha cuidando dela e custeando seu aborto pois ela havia sido abandonada pelo namorado, seu melhor amigo.

--xx--

No verão de 1999, no Carnaval, ele estava ao celular com a menina que acabava de pedir em namoro. Eu o ouvi desligar e comentar "ela disse que queria que eu estivesse lá". O que são 160km de distância numa madrugada de carnaval comparados à isso? Quase nada. Eu nunca precisei de muito convencimento para insensatez - "então vamos, eu vou com você até lá".

O céu estava sem nuvens quando eu pedi que a 120km por hora ele escolhesse uma boa reta e apagasse todas as luzes para eu pudesse botar o corpo fora do carro e apreciar a via láctea. Longe da cidade você consegue ver até satélites. Eles tinham uma música-tema... "Say It Once" da boy band Ultra. Ouviu à exaustão. Levamos apenas um pouco mais de 1 hora até Cabo Frio.

Ele ligou pra ela. Ela atendeu.

--xx--

O mocinho do filme pegou o que restou da grana que faturou vendendo seus melhores bens e comprou um bracelete de aniversário. Falta pouco pro filme acabar, o final feliz da comédia romântica está próximo. Ele a encontra na cozinha, aos beijos com seu melhor amigo, o sujeito que a engravidou. Eles ainda dão um sorriso sem jeito, como que pegos em uma travessura. Ele volta para o carro e dirige sabe-se lá pra onde. É quando a música toca e o filme acaba.

--xx--

Quando ela chega fica surpresa por nos ver lá. Recebe-nos com pressa e a gente sobe. O clima fica estranho e eu não faço idéia de porque, depois desta demonstração de impulsividade dele. Hoje eu sei melhor, claro. Quando ele se oferece pra ficar estraga seus planos de passar o carnaval com outro cara, que conheceu lá. De fato, tenho certeza de que ela não queria que ele estivesse lá.

Eu volto pro carro e coloco "Say It Once" para tocar enquanto eles se resolvem. "Patético", claro que pensei. Até mesmo canções de amor são palavras... e palavras...bem... palavras o vento leva, né?

Um comentário:

  1. Bah, James.
    Foda esse post :/

    O vento leva sim, cara. Most of the time.

    ResponderExcluir

 
BlogBlogs.Com.Br